Histórico

Pintura Itego 2015As discussões para implantação de uma escola profissional no município de Anápolis vêm de longa data. Este processo intensificou-se, no entanto, em 1998, quando o Governo do Estado de Goiás, através da Superintendência do Ensino Fundamental e Médio da Secretaria de Educação e Cultura SUPEFM/SEC, assumiu sua coordenação.

 

Com a elaboração do Plano de Reforma e Expansão Profissional do Estado de Goiás, ocorrido no segundo semestre de 1998, com financiamento do MEC/BID/FAT, a SEMTEC/PROEP com apoio técnico da UNESCO, concebeu, planejou e a elaborou o projeto técnico com o objetivo de implantação do Centro de Educação Profissional de Anápolis/GO – CEPA.

 

A SUPEFM instalou, com chamamento e envolvimento da comunidade local, que culminou no estabelecimento de princípios, diretrizes e ações capazes de concretizar parcerias fundamentais, além de direcionar a organização da elaboração do projeto.

 

A agenda de trabalho para definição e elaboração do projeto do CEPA apresenta a seguinte memória básica:

  • Realização de seminário, denominado A educação Profissional em Goiás – Políticas e Estratégias, ocorrido nos dias 25 e 26/05/98;
  • Reunião com o Prefeito de Anápolis (Adhemar Santillo), ocorrida em 12/08/98, para apresentação da proposta inicial do CEPA. Nesta reunião foi designado o vice-prefeito para representar a Prefeitura no processo de mobilização da comunidade local, bem como foram agendadas novas reuniões de trabalho;
  • Realização do Seminário em Anápolis para discussão do Centro, ocorrido em 10/09/98. Este evento contou com ampla participação da comunidade local, consultores e técnicos do MEC e da SEC/GO. Neste seminário, foi formado Grupo de Trabalho (GT) com o objetivo de discutir detalhes da elaboração do projeto do Centro, incluindo a definição do modelo jurídico-organizacional do Centro de Educação Profissional de Anápolis – CEPA;
  • Reunião do GT, ocorrida em 18/09/98, onde se definiram, com base nos diagnósticos locais e do PEP, o local e os cursos a serem oferecidos;
  • Reunião no mês de outubro, para detalhamento dos cursos a serem ofertados com a participação de membros das entidades dos seguimentos organizados de Anápolis;
  • Reunião, no mês de novembro, para checagem dos cursos junto ao empresariado, entidades sindicais e representantes políticos de Anápolis.

Todo esse trabalho de amplo envolvimento e participação de diferentes atores, sobretudo institucionais, legitima o conteúdo desse Projeto. A SUPEFM/SEC estabeleceu vínculos, planejou, coordenou e executou com a participação da comunidade anapolina, todas essas atividades e ações e a concretização do projeto ocorreu com o patrocínio do MEC/SEMTEC/PROEP, e com o esforço e dedicação da equipe da SUPEFM, dos consultores e de vários profissionais da Secretaria da Educação e Cultura, de outros órgãos do Estado e da comunidade diretamente envolvida.

 

A partir de 1999, já no Governo Marconi Perillo, o projeto passa a ser concretizado com o início das obras da infra-estrutura predial do CEPA, no Distrito Agro- Industrial de Anápolis – DAIA, ainda neste ano, foram realizados estudos de mercado, cuja abrangência corresponde à microrregião de Anápolis, com o propósito de justificar a oferta de cursos. Ficando evidente a vocação da região para atividades agroindustriais e na expansão do setor de serviços, que é o maior responsável pelos postos de trabalho existentes na região. Sendo no setor de serviços, a área relacionada ao turismo é a segunda que mais fornece empregos (depois da administração pública).

 

Em setembro de 2001 o Professor José Teodoro é nomeado como primeiro diretor do Centro de Educação Profissional de Anápolis, tendo como responsabilidade inicial o acompanhamento das obras – infra-estrutura culminando com a entrega do prédio, bem como compor equipe de recebimento de mobiliário e equipamentos adquiridos em licitação a partir de 2002.

 

A entrega da estrutura física foi realizada em 11 de novembro de 2002, em solenidade política com as presenças dos representantes do MEC/PROEP, Governador do Estado, Secretária de Educação e autoridades locais. Neste ano recebemos 56 computadores, quase a totalidade dos mobiliários e parte dos equipamentos dos demais laboratórios.

 

Em 2003, continuamos a receber os equipamentos adquiridos no processo licitatório e dos novos via Pregão, realizado em julho deste ano. Foi o ano de estruturação dos ambientes pedagógicos. Somente em dezembro é que foi concluída a entrega da totalidade dos equipamentos. Destacamos que ainda tínhamos um saldo superior a R$ 500.000,00, pendente, oriundos de rubricas de capacitação, consultoria, serviços, equipamentos e estrutura física, ou seja, estávamos com cerca de 70% de nossa capacidade instalada consubstanciada.

 

Ainda em 2003, iniciou-se um intenso trabalho no mês de abril, com contratação de professores para o início das atividades pedagógicas, tão somente com cursos de Informática Básica e alguns cursos na área de gestão, tendo em vista não dispormos dos laboratórios equipados, fato que só ocorreria em dezembro de 2003.

 

Atendemos, a partir de abril deste ano, 520 alunos em cursos “Básicos”, segundo decreto 2.208. Juntamente com o início das atividades pedagógicas tem se os estabelecimentos de diretrizes macro inerentes ao planejamento estratégico da instituição, com a definição da linha teórica que pautará o trabalho docente do Centro – A Pedagogia das Competências e a definição clara por uma administração pautada na informatização dos processos e mediadas por tomadas de decisão colegiada. Contamos com a elaboração do Estatuto do Conselho Diretor, composto por representantes de instituições externas (ACIA, CDL e Prefeitura) e colaboradores internos (Corpo docente, técnico administrativo, discente e do Diretor do Centro).

 

Em janeiro de 2004, realizou-se o primeiro Planejamento Estratégico, com perspectiva de quatro anos, contemplando ações para o primeiro biênio 2004/2005. Iniciado, também, a elaboração do Projeto Educativo e Regimento da instituição.

 

Em fevereiro de 2004, foi formalizado o convênio com a Prefeitura Municipal de Anápolis, para atendimento inicial de 4.000 jovens anapolinos, em cursos de formação Inicial e Continuada de Trabalhadores – FICT, sendo treze modalidades na área de Informática, doze em Gestão e três em Eletrônica, e posteriormente aditivado em mais 1.000 novas vagas, encerrando o convênio com um atendimento total de 5504 alunos, sendo os 504 atendimentos excedentes, sem ônus.

 

Houve também atendimentos especializados às empresas da região, com oferta de cursos nas áreas de Gestão e Informática, onde citam-se: Isoeste Ind. E Com. Isolantes Térmicos Ltda, Vitapan Indústria Farmacêutica Ltda, Carta Goiás Ind. E Com.de Papéis Ltda., Elka Ind. E Conexões Hidráulicas Ltda, Cartonagem e Litografia Anapolina Ltda, Polícia Militar, Gravia Esquality Indústria Metalúrgica Ltda, Porto Seco e Universidade Estadual Goiás – UEG, encerrando com 210 alunos qualificados.

 

Em 2005, foram oferecidas 53 (cinqüenta e três) modalidades de cursos em Formação Inicial e Continuada de Trabalhadores, sendo 4.298 na Área de Gestão, 1.495 na Área de Informática e 197 em Indústria – Eletrônica, através da renovação do convênio com a Prefeitura Municipal de Anápolis, além de 167 atendimentos, em nove modalidades de cursos, especializados a empresas e instituições da comunidade anapolina, sendo elas: Carta Goiás, Colatex, Compensados Anápolis Ltda, Faculdade Latino Americana – FLA e Gravia Esquality Indústria Metalúrgica Ltda, totalizando 6.157 atendimentos.

 

Cônscios de que a Educação Profissional deve estar voltada não apenas para a mera instrumentalização, mas para a interpretação e a transformação da realidade, a equipe gestora implantou, no ano de 2005, a Capacitação Continuada em Serviço para o Corpo Docente, através do Curso “Educação Profissional por Competências”, realizado às sextas-feiras com o objetivo de possibilitar a equipe docente e técnico-pedagógica do CEPA, a troca de experiências, a reestruturação e a produção de documentos pedagógicos, fichas de avaliação, planos de curso, planos de aula, dentre outros, tendo como premissa básica a otimização dos cursos ministrados por esta instituição.

 

A capacitação continuada em serviço proporcionou também a integração entre a equipe docente e técnico-pedagógica; promoveu uma reflexão crítica dos temas pertinentes à Pedagogia das Competências para sua implementação no cotidiano dos cursos; forneceu subsídio teórico para a reestruturação dos Planos de Curso e o desenvolvimento de Projetos.

 

Essa preocupação com a coerência entre teoria e prática é uma constante na instituição, que busca sempre alternativas para que sejam criados espaços para reflexões, debates e avaliações.

 

Assim, a partir de 2006 foram estabelecidos, trimestralmente, os “Encontros Pedagógicos” com o objetivo de compartilhar as experiências, dificuldades no processo ensino-aprendizagem entre a equipe docente como um todo e, os professores de áreas afins, chegando a um consenso sistematizado como subsídio à prática pedagógica, formando o “Compêndio Pedagógico”.

 

Também para este ano foi renovado o convênio com a PMA, através da Secretaria de Integração Social – Projeto Centro da Juventude, para atendimento inicial de 5.000 alunos em Cursos de Formação Inicial e Continuada de Trabalhadores – FICT. Em julho, foi estabelecida a parceria entre o CEPA e a Associação Casa das Rosas, instituição não governamental e parcialmente financiada pela PMA, onde foram disponibilizadas vagas na área Turismo e Hospitalidade com o curso de Formação de Garçons e Commins, totalizando 400 atendimentos.

 

Os atendimentos especializados ocorridos neste ano beneficiaram as seguintes empresas: Gravia Esquality Indústria Metalúrgica Ltda, Michigan Cards Tecnology, Colégio Estadual Senador Onofre Quinan, Colégio Estadual General Curado, Núcleo Tecnológico Educacional – NTE e Associação Casa das Rosas, totalizando aproximadamente 279 em oito modalidades de cursos FICT.

 

Ainda em 2006, aconteceu o primeiro processo seletivo para o Curso Técnico em Informática com Habilitação em Desenvolvimento de Sistemas, oferecendo 120 vagas distribuídas nos turnos matutino, vespertino e noturno, iniciando a trajetória do CEPA na Educação Profissional Técnica de Nível Médio.

 

O ano de 2007 teve início com a semana pedagógica, a fim de inteirar os servidores das ações desenvolvidas nos diferentes departamentos do CEPA e promover a participação de todos, em caráter deliberativo, sobre documentos normativos, institucionais e pedagógicos. Norteadas as ações previstas para 2007, as atividades entre o corpo docente e a equipe técnico-pedagógica ocorreram por modalidades de cursos da educação profissional – FICTs e Técnicos.

 

Mantida a parceria estabelecida com a PMA em 2007, intermediada pela Secretaria de Integração Social – Projeto Centro da Juventude, o Cepa atendeu 4.723 alunos nos cursos FICT, vagas estas disponibilizadas nas áreas de Gestão, Saúde, Informática e Eletrônica. Ainda atuando como unidade parceira desse Centro de Educação Profissional, a PMA juntamente com Conselho Municipal de Trânsito e Transporte – CMTT e Associação Municipal de Assistência Social – AMAS, o CEPA desenvolveu o Projeto Agente Mirim – Jovem Aprendiz referente às citações da Lei 10.097/2000, resultando em 120 alunos matriculados.

 

O convênio com a Associação Casas das Rosas foi mantido no ano de 2007, oferecendo cursos na área de Turismo e Hospitalidade – Formação de Garçons e Commins, resultando em 400 atendimentos.

 

As prestações de serviços as empresas resultaram em 10 atendimentos especializados, nas áreas de Gestão e Informática, em 11 modalidades diferenciadas de cursos, totalizando 1.300 certificações. As empresas atendidas foram: Colégio Estadual Senador Onofre Quinan, Colatex Indústria e Comércio Ltda, Michigan Cards Tecnology, Porto Seco Centro Oeste S/A, Gravia Esquality Indústria Metalúrgica Ltda, Colégio Estadual General Curado, FAA- Faculdade Anhanguera de Anápolis, DVG – Indústria e Comércio de Plásticos Ltda – Plastubos, Novafarma Indústria Farmacêutica Ltda, Porto Pereira Administradora de Cozinhas Industriais Ltda.

 

Com intuito de ampliar a oferta de Cursos Técnicos de Nível Médio na modalidade presencial, deu-se início no primeiro semestre de 2007 à sistemática de estruturação dos planos de cursos Técnicos em Logística e Técnico em Química com habilitação em Operador de Controle de Qualidade nos Processos Industriais. As atividades foram desenvolvidas por uma equipe técnica multidisciplinar, que culminou em estudo de demanda, visitas técnicas as empresas e elaboração dos Planos de Cursos acima mencionados. A aprovação do Curso Técnico em Logística ocorreu em 18 de dezembro de 2007.

 

Iniciado os procedimentos sistemáticos inerentes a elaboração de planos de cursos destinados ao atendimento de cursos Técnicos de Nível Médio a distância, isso ainda em 2007, em 2008 houve a formação de Gestores para o Programa e-Tec, com 5 participantes e ministrado pela Universidade Federal de Santa Catarina; Seminário Internacional de Educação a Distância e Educação Profissional, com 13 participantes; Seminário sobre a Lei do Estágio, com 4 participantes e Seminário em EAD de Anápolis, com 4 participantes, sendo ministrado pela Unievangélica.

 

As ações acima elencadas resultaram na estruturação do corpo técnico destinado ao Programa E-TEC e aprovação de quatro cursos, sendo eles: Técnico em Multimeios didáticos. Técnico em Informática, Técnico em Secretariado e Técnico em Logística.

 

Por apresentar particularidades relacionadas à estrutura física para o devido funcionamento do Curso Técnico em Química com habilitação em Operador de Controle de Qualidade nos Processos Industriais, concomitantemente a elaboração de seu Plano de Curso, foi desenvolvido estudo e elaboração de projeto de adequação dos laboratórios de química geral, analítica e microbiologia, com devido encaminhamento para a SUEP, objetivando a liberação de recursos financeiros. A aprovação pelo CEE ocorreu em 20 de maio de 2008 e, com isso, foi liberada parte da verba destinada à adequação dos laboratórios, resultando na estruturação parcial de tais ambientes.

 

Devido à importância do papel da escola no âmbito da área social, foram realizados os seguintes projetos: Inclusão digital e Cidadania, em parceria com o Centro da Juventude e Juizado da Infância e Adolescência, cabendo a instituição o atendimento de 44 alunos distribuídos em três turmas; Curso de Informática Básica, oferecido pelo Núcleo do Adolescente e Criança (Nacri), tendo acompanhamento pedagógico e certificação cedida pelo CEPA, totalizando 40 alunos beneficiados; Natal Solidário, que realizou a distribuição de 72 cestas básicas para a população carente do Bairro Jardim Esperança, através de alimentos doados pelos servidores da instituição.

 

No ano de 2007, o CEPA foi uma das 05 escolas brasileiras indicadas a participar do Projeto Internacional Liderança nas Escolas, envolvendo o Consed, Conselho Britânico, SEE e CEPA, que, inicialmente recebeu visita em suas instalações dos membros representantes do Conselho Britânico. Tal projeto visa à troca de experiências nos procedimentos de gestão, avaliação, desenvolvimento e capacitação dos educadores no que concerne a educação profissional realizada nos países signatários do projeto.

 

A instituição proporcionou a participação dos alunos e professores em Eventos Científicos Culturais, como a I Mostra de Conhecimento, Cultura, Arte e 13ª Feira de Ciências, ambas promovidas pela SEE, bem como exposição na Faiana 2007.

 

Em Agosto de 2007, o CEPA realizou o I Simpósio de Educação Pública Profissional de Anápolis e II CEPAMix, oferecendo, respectivamente, palestras referentes à educação profissional, oficinas, mini-cursos e exposição de projetos desenvolvidos pelo corpo docente nas diversas áreas.

 

Em 2008, foi renovado o convênio com a PMA, possibilitando a oferta de cursos de Formação Inicial e Continuada dos Trabalhadores nas áreas de Gestão, Informática e Saúde, distribuídas em 39 modalidades de cursos e totalizando um atendimento de 5.093 matrículas. Mantida a parceria com o Conselho Municipal de Trânsito e Transporte – CMTT, através da Associação Municipal de Assistência Social – AMAS, foram realizados 120 atendimentos em conformidade com a Lei nº 10.097/2000 – que dispõe sobre o Programa Federal “Jovem Aprendiz”, permitindo a execução e continuidade do Projeto Municipal “Agente Mirim – Jovem Aprendiz”.

 

A parceria com a Associação Casas das Rosas também foi mantida, atendendo dois cursos na área de Turismo e Hospitalidade: Serviços de Camareira e Formação de Garçons e Commins, resultando em 424 vagas ofertadas. A referida parceria foi ampliada com a certificação dos Cursos: Básico de Corte, Hidratação e Escova, Penteado, Técnicas de Maquiagem, Modelagem de Sobrancelhas, Costura e Artesanato, finalizando com mais de 195 certificações.

 

No início de 2008, foi realizado o primeiro processo seletivo para o Curso Técnico em Logística Empresarial na modalidade presencial, sendo ofertadas 105 vagas distribuídas nos turnos matutino, vespertino e noturno. Da mesma forma, foi realizado o processo seletivo para o Curso Técnico em Desenvolvimento de Sistemas na modalidade presencial, disponibilizando 75 vagas distribuídas nos três turnos.

 

Visando oportunizar novos cursos de Técnicos de Nível Médio na modalidade presencial, deu-se início em 2008 na elaboração dos Planos de Cursos Técnico em Secretariado e Técnico em Joalheria, sendo o último em parceria com o Centro de Gemologia, órgão vinculado à SIC – Secretaria de Indústria e Comércio. Ambos previstos para serem implementados em 2009.

 

Foram realizados 339 (trezentos e trinta e nove) atendimentos no ano de 2008 com prestação de serviços às empresas, atendidas por meio de contratos, resultando em 22 empresas como a Colatex Indústria e Comércio Ltda, Gerbrás Química Farmacêutica Ltda, Novafarma Indústria Farmacêutica Ltda, Faculdade Latino Americana – FLA, Brigada de Incêndios Florestais C.E. “Senador Onofre Quinan, C.E. “General Curado”. Ainda foram realizados Treinamentos para as seguinte empresa/instituição: Novafarma Indústria Farmacêutica Ltda e Empresa Júnior – UEG.

 

Novamente, proporcionou a participação dos alunos e professores em Eventos Científicos Culturais, como a II Mostra de Conhecimento, Cultura, Arte e 14ª Feira de Ciências, ambas promovidas pela SEE, bem como exposição na Faiana 2008.

 

Em novembro de 2008, o CEPA deu continuidade na proposta de realização do II Simpósio de Educação Pública Profissional de Anápolis e III CEPAMix, oferecendo, respectivamente, palestras referentes à educação profissional, oficinas, mini-cursos e exposição de projetos aos servidores e comunidade anapolina.

 

Os projetos sociais desenvolvidos pela instituição continuaram em execução, sendo mantida a parceria com o Centro da Juventude e Juizado da Infância e Adolescência, que propiciou a realização do Projeto Inclusão Digital e Cidadania, totalizando 162 alunos atendidos e distribuídos em sete turmas. Também foi realizada a parceria com o Núcleo do Adolescente e Criança – NACRI, mediante o acompanhamento pedagógico e a certificação dos participantes no Curso Informática Básica. Foram atendidos adolescentes em condições de risco, totalizando 40 alunos moradores do Bairro Novo Paraíso. 

 

Um novo projeto foi implementado na instituição, sendo de natureza cultural e denominado “Leitura Solidária”. O mesmo tem por princípio, a ação “Amigos da Biblioteca”, na qual os servidores realizam voluntariamente, por um prazo mínimo de seis meses, a doação/cessão/empréstimos de livros para a biblioteca da instituição, visando disponibilizar, compartilhar e desenvolver o gosto pela leitura e a formação de leitores.      

 

Com a reforma administrativa do Estado ocorrida em junho de 2008, a Educação Profissional do Estado de Goiás deixa de pertencer a Secretaria de Educação e passa a vincular-se à Secretaria de Ciência e Tecnologia – SECTEC, tendo como órgão gestor, a SUESP – Superintendência de Ensino Superior e Profissional, antiga SUEP.

 

No segundo semestre de 2008, iniciou-se a proposta de adesão ao programa Federal PROEJA, marcado com eventos de capacitação aos envolvidos neste projeto, no qual o CEPA será responsável pela parceria com as Escolas Durval Nunes e Elias Chadud, com previsão de atendimento a 40 alunos em duas turmas piloto em 2009, no itinerário/curso Assistente Administrativo.

 

O “Natal Solidário”, projeto de ordem social, foi sequenciado em 2008; contou com a doação e coleta antecipada de alimentos por parte dos servidores e comunidade, resultando na distribuição de 44 (quarenta e quatro) cestas básicas no Bairro Novo Paraíso.

 

Integrando as ações do projeto Liderança nas escolas foi desenvolvida a “Observação das Boas Práticas Pedagógicas” que consiste no processo pelo qual a aula é assistida por um observador para identificar exemplos de Boas Práticas e possíveis áreas de desenvolvimento para fornecer devolutivas positivas para o professor cujas aulas foram observadas. É um processo colaborativo e de apoio.

 

No acompanhamento da Educação Profissional, foram criados instrumentos de comunicação e informação cuja finalidade foi otimizar as atividades desenvolvidas pelos servidores. Para isso foi mantido o Compêndio Pedagógico contendo informações atualizadas sobre as decisões administrativo-pedagógicas deliberadas pelo Grupo Gestor, sendo disponibilizado na sala dos professores, biblioteca e administração. Também foi disponibilizado o Compêndio de Notícias abordando as temáticas: educação, mercado de trabalho e em especial Educação Profissional, retiradas de jornais e revistas, disponibilizado na sala dos professores e biblioteca. No mesmo sentido, foi elaborado o Portifólio do processo seletivo dos cursos Técnicos, garantindo a sistematização das rotinas e procedimentos aplicados em todos os processos realizados no CEPA.

 

O CEPA também fez parte do esforço do Governo do Estado em qualificar mais de meio milhão de pessoas por meio do Programa Bolsa Futuro. Somente em Anápolis e região foram 85.296 pessoas qualificadas entre 2012 e 2015. 

 

Por meio de convênio com o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego – PRONATEC, foram qualificadas, entre 2012 e 2015, 15.626 pessoas.

 

ITEGO

Com o objetivo de realizar a formação profissional e fortalecer a inovação e o desenvolvimento tecnológico, em 2015, foi aprovada pela Assembleia Legislativa em 08 de julho de 2015 e sancionada pelo governador Marconi Perillo a Lei nº 18.931, de 27 de julho de 2015, que cria a Rede Itego. A Lei transforma os centros de educação profissionais em institutos tecnológicos.  Além da criação dos Itegos, a lei estabeleceu a denominação para cada unidade, conforme a indicação da comunidade. O Itego de Anápolis recebeu o nome do Governador Onofre Quinan.

 

Neste ano de 2015 o ITEGO Anápolis atendeu 2.407 alunos com cursos técnicos presenciais e a distância, cursos FIC presenciais e a distância e cursos FIC pelo Pronatec. 

 

 

Departamento de Tecnologia da Informação e Comunicação - CEPA

© Copyright 2012 - Todos os direitos reservados